Tecnologia na agricultura: saiba a importância para a evolução

tecnologia na agricultura

Compartilhe

O cultivo e o plantio são atividades que datam de milhares de anos e é inegável o desenvolvimento da prática ao longo dos séculos.

Hoje, contudo, o contexto digital permite que a gente olhe a tecnologia na agricultura como mais uma grande revolução. Não à toa, já existe um termo para isso: a indústria 4.0 (ou agricultura 4.0) aplicada ao setor.

E se você ainda não está por dentro dos avanços nesse ramo, convidamos você a seguir com esta leitura, porque pode mudar por completo a sua visão de negócios!

Nos tópicos abaixo, vamos destacar a importância da tecnologia na agricultura e ainda mencionar algumas das soluções mais inovadoras nesse sentido.

Confira!

O que é tecnologia na agricultura?

Soluções tecnológicas têm a capacidade de contribuir com análises mais precisas, eficientes e personalizadas da sua lavoura. 

Isso, quando consideramos apenas as soluções mais atuais, que operam digitalmente e contam com recursos automatizados múltiplos. Mas a verdade é que a tecnologia na agricultura vem evoluindo gradualmente desde as primeiras revoluções industriais.

Foi quando o setor também passou a se beneficiar de maquinários, equipamentos (mecânicos, on-line e híbridos) e ferramentas que ajudam no planejamento e na execução de um trabalho mais eficiente nos campos.

Veja, aqui, um grande recurso de tecnologia na agricultura. Conheça o Stratus H12!

Quando surgiu a tecnologia na agricultura?

Embora os séculos 20 e 21 tenham acelerado a revolução agrícola, o processo de desenvolvimento do setor data de milhares de anos.

Afinal de contas, foi a agricultura que permitiu a transição social do nomadismo para o sedentarismo — um dos precursores para a construção e organização de civilizações.

Até por isso, a atividade agrícola tem cerca de 20 mil anos de aplicação. E, como você deve imaginar, muita coisa mudou desde então. Especialistas apontam, inclusive, que a primeira revolução do segmento começou com o uso de ferramentas para facilitar o trabalho.

uso da tecnologia na agricultura

É o caso do uso de animais para o transporte e o auxílio de trabalhos pesados — algo usado até os dias atuais em diversas partes do mundo. E também do arado de lâminas, cuja aplicação mais evidente ocorreu na Idade Média (século 13, aproximadamente).

Essa revolução durou séculos, sendo que a agricultura 2.0 só foi reconhecida no início do século 20. Época em que a mecanização e a aplicação científica passaram a assumir o lugar dos palpites e das experiências por tentativa e erro.

Com isso, o cenário rural passou a dividir espaço com máquinas mecânicas que tinham mais capacidade produtiva do que os agricultores e os seus animais que puxavam o arado.

Sem falar na possibilidade de produzir produtos em larga escala. Afinal, com a industrialização emergente na sociedade, a produção agrícola também aprendeu a suprir uma demanda cada vez maior, expandindo o mercado para um nível internacional.

Em seguida, a agricultura 3.0 foi observada como uma transformação presente nas últimas três décadas (ao longo da virada do século 20 para o seguinte, portanto).

Nesse momento, o setor agrícola já estava habituado à presença de tratores e uma série equipamentos mecânicos e/ou elétricos, mas com uma perspectiva analítica mais precisa sobre as demandas e soluções para as lavouras.

Foi o caso do monitoramento e da gestão de insumos para atingir resultados específicos e aumentar a produtividade.

A agricultura 4.0

Vale destacar que a transição da agricultura 3.0 para a revolução 4.0 do setor teve um elemento impactante: o uso da tecnologia de Sistema de Posicionamento Global por Satélite (GPS) e da agricultura de precisão, consequentemente.

Por meio delas, foi possível analisar o campo de maneira mais detalhada e direcionada, permitindo estratégias para cada setor da lavoura. Além do uso racional e preciso de recursos e insumos para as necessidades de cada área do campo.

Com isso, a agricultura 4.0 ganhou espaço porque novas soluções e tecnologias apresentaram ainda mais recursos. Como é o caso do Big Data, das soluções digitalizadas e da automatização dos equipamentos. 

Isso tudo, pautado por uma conscientização maior com relação à sustentabilidade e à segurança do agricultor e também do consumidor final. 

Temos, agora, uma agricultura integrada, conectada e automatizada em diversos processos. O que tende a caracterizar-se também pelo:

  • aumento de produtividade;
  • economia no uso de recursos;
  • otimização dos processos;
  • redução do desperdício e de prejuízos na lavoura;
  • melhor direcionamento de estratégias distintas dentro do próprio campo.

Exemplo disso são os drones para a pulverização e análise pontual da lavoura com base nas informações coletadas. Em seguida, são analisadas e enviadas para a nuvem, facilitando a tomada de decisão de maneira ágil e mais assertiva.

Qual a importância da tecnologia no agronegócio?

Hoje em dia, é difícil imaginar os pilares da sociedade conectada e integrada sem esses mesmos conceitos. Afinal de contas, a nova revolução industrial foi inteiramente pautada pelas tecnologias digitais e rapidamente permitiram mudanças das quais é desafiador imaginar o crescimento do setor sem elas.

E já destacamos, acima, o quanto a tecnologia na agricultura mudou definitivamente o jogo. Mas vale reforçar para que não restem dúvidas sobre o impacto positivo dela dentro do setor.

Aumento de produtividade

Como falamos anteriormente, foram séculos e mais séculos de trabalho braçal e muita criatividade para tornar o campo produtivo. 

As máquinas e o conhecimento científico garantiram, por sua vez, uma escala produtiva maior e mais soluções de proteção e combate contra pragas e doenças. Sem falar que o exaustivo trabalho braçal vem sendo substituído pela automatização de processos e atividades.

Como resultado direto disso, a agricultura se beneficia de uma capacidade produtiva maior. E cada vez menos dependente de erros, imprevistos e perdas na lavoura.

Redução de custos

Com o auxílio da tecnologia na agricultura é possível avaliar a quantidade exata de recursos para cada tipo de atividade. Assim, o desperdício inexiste e o consumo de insumos se torna mais efetivo e preciso — como é o caso de água, fertilizantes e pesticidas.

No caso de agrotóxicos, inclusive, os avanços têm permitido uma agricultura mais segura e que promove menos uso dos produtos de forma a garantir, ainda assim, a proteção do plantio.

Diminuição dos impactos ambientais

Como destacamos acima, os produtos usados na agricultura podem impactar o ambiente de maneira menos negativa, pois a análise de dados favorece a aplicação precisa de insumos sem afetar a natureza de modo tão degradante.

É também menor o impacto causado pelo lançamento de gás carbônico na atmosfera. Assim, vamos alinhando a produção agrícola a uma atividade mais sustentável de um modo geral — ainda mais, quando as tecnologias são alimentadas por fontes de energia renovável.

Assim, temos uma produção que se apega à eficiência e ainda gera resultados complementares que agregam valor à atividade e à preservação da natureza.

Aumento da segurança e eficiência

Também mencionamos que as soluções digitais oferecem uma versátil camada de segurança e proteção — ao produtor rural e também ao consumidor final.

Afinal de contas, as falhas e erros são menores, nos processo automatizados, e ainda existe o uso inteligente de recursos na lavoura. O que torna o plantio menos dependente de produtos químicos e ainda conserva as suas propriedades naturais.

Além disso, as máquinas e ferramentas digitais oferecem um trabalho cada vez mais analítico e menos cansativo, fisicamente. É uma revolução que transforma os meios de trabalho e coloca o produtor rural em um cargo mais analítico e estratégico.

Maior assertividade

Com tanto auxílio fornecido para aumentar a produtividade e tornar processos mais automatizados e seguros, dá para imaginar que a tecnologia na agricultura também torna toda a atividade mais assertiva.

Afinal, essa agilidade e precisão no trabalho se convertem em eficiência e mais qualidade no trabalho prestado. Com as ferramentas digitais é possível analisar melhor o campo, como um todo, e de maneira individualizada.

Isso tudo se transforma em agilidade com produtividade, economia e assertividade. E todo o segmento só tem a se beneficiar disso.

Quer um exemplo prático? 

Veja, aqui, um grande recurso de tecnologia na agricultura. Conheça o Stratus H12!

Como a tecnologia pode ajudar a agricultura familiar?

O governo federal destaca que, ainda hoje, a agricultura familiar tem participação ativa no segmento e para alimentar o Brasil — são 70% dos produtos que chegam à mesa da população.

Portanto, é inegável que os benefícios mencionados anteriormente podem se converter em pontos positivos para o setor também. Um desenvolvimento sustentável e alinhado às demandas do mercado e do país, consequentemente.

Para isso, existem recursos diversos para facilitar a rotina do produtor agrícola e ainda gerar mais competitividade ao mercado e gerar mais resultados.

tecnologia e a agricultura familiar

A já citada agricultura de precisão, por exemplo, ajuda a reduzir os custos de produção e aumenta a capacidade de produção em larga escala. Sem falar que, como já mencionamos, outros benefícios podem ser somados ao dia a dia, como mais eficiência e segurança.

Sistemas digitais permitem, ainda, a análise de dados de modo tão específico, que você consegue avaliar as melhores estratégias para reduzir as perdas por meio de um combate personalizado de combate às pragas e doenças na lavoura, além de mais personalização também no tratamento do solo e nos sistemas de irrigação.

Com isso, a agricultura familiar pode se desenvolver com mais eficiência por meio de um desenvolvimento pluralizado em: 

  • infraestrutura;
  • autossuficiência produtiva;
  • investimento em novas tecnologias;
  • redução de perdas;
  • redução de custos e do uso de insumos, tornado-os mais específicos e precisos.

Quais são as tecnologias usadas na agricultura 4.0?

Falando especificamente das tecnologias que contribuíram para a popularização do termo Agricultura 4.0, podemos destacar algumas soluções que reforçam a visão analítica e estratégica do agricultor do século 21.

E vamos falar um pouco mais a respeito das principais delas, logo a seguir, e que têm possibilitando não apenas uma revolução agrícola, mas um acesso sem precedentes das população às novas tecnologias digitais.

Sensores

Com sensores espalhados pela sua área de plantio e de cultivo, um volume imenso de dados pode ser coletado e analisado para agilizar tornar assertiva a tomada de decisão.

Por exemplo: esse tipo de solução garante mais eficácia na hora de avaliar as condições de umidade, compactação e outros fatores importantes para a fertilidade do solo.

Sem falar que outras informações podem ser extraídas, como a presença de ervas daninhas e outras plantas invasoras, além de infestações de pragas e outras doenças.

Soma-se a isso o avanço tecnológico de sensores que auxiliam na avaliação e condições meteorológicas. Isso ajuda — e muito — no planejamento e execução de atividades que dependem bastante de um clima ameno, como a pulverização, entre outras.

GPS agrícola

GPS — sigla em inglês para o termo Sistema de Posicionamento Global — já é uma tecnologia bem familiar à população do mundo inteiro. 

Mas ela é também uma tecnologia na agricultura com impacto revolucionário, sabia?

Isso porque, com soluções que fazem uso do sistema é possível:

  • mapear toda a área de plantação;
  • gerar amostragens virtuais do solo e de todo o campo de cultivo;
  • realizar uma  inspeção de todos os processos agrícolas;
  • fazer um mapeamento completo da sua produção.

Entre os benefícios disso, você passa a obter a localização exata de amostras de solo e consegue fazer uma coleta e análise de dados mais eficientes, além de garantir um controle e a navegação de máquinas com mais precisão e conveniência para realizar o serviço.

Não à toa, é essa a tecnologia em torno dos drones na agricultura, oferecendo novas possibilidades de exploração das atividades agrícolas.

Big Data

Big Data é um termo associado ao uso de tecnologias e ferramentas que favoreçam a compilação do tráfego de informações digitais geradas por outras soluções.

Por exemplo: todo dado gerado pelos seus sensores e soluções de GPS pode ser coletado e posteriormente compilado para análise e a geração de insights e avaliações da sua parte.

Dessa maneira, fica mais fácil apontar as métricas que você mais deseja ou necessita monitorar para, em seguida, desenhar estratégias que podem:

  • aumentar a produtividade;
  • reduzir perdas e desperdícios;
  • prevenir-se contra problemas na lavoura;
  • proteger o plantio contra pragas e doenças.

Vale reforçar, ainda, o quanto a tecnologia na agricultura ajuda a tornar o trabalho cada vez mais assertivo no que diz respeito às decisões — cada vez menos baseadas em palpites e no instinto, e com dados que tornam as suas certezas irrefutáveis.

Mobilidade

Também é importante destacar que os novos recursos tecnológicos oferecem mobilidade ao trabalho. Conexões sem fio, sensores, aeronaves pilotadas à distância, monitoramento de dados de um local remoto… Tudo isso é possível por meio da tecnologia na agricultura.

E o agricultor ou produtor podem fazer isso não apenas de um computador, mas de qualquer lugar tendo acesso a um dispositivo móvel (como um tablet ou smartphone).

Tecnologias integradas deixam o seu negócio mais flexível, móvel e ágil para planejar e executar ações. E, como mencionamos, a sua própria decisão passa a ser simplificada e facilitada por esses recursos e ferramentas.

Como destacamos, uma das grandes possibilidades que a tecnologia na agricultura permite é o monitoramento do seu campo de produção em tempo real. Algo que abre espaço para a visualização imediata de dados, métricas e todo tipo de informação da sua plantação.

Drones

drones na agricultura

Por fim, podemos destacar o grande avanço que os drones criaram para o setor. São aeronaves compactas, portáteis e que podem ser pilotadas remotamente e à distância, e que trazem novas possibilidades e recursos de aplicação na lavoura.

Você pode, por exemplo:

realizar a pulverização aérea de áreas específicas e com difícil acesso;

gerar precisão nesse trabalho, já que a aeronave permite mais proximidade para a aplicação dos produtos;

fazer uma vistoria de áreas extensas do campo e verificar a possibilidade de desenvolvimento do stand;

facilidade para a identificação de reboleiras de plantas que foram acometidas por pragas ou doenças.

Com agilidade, rapidez de identificação e facilidade de implementação de estratégias, você ainda se beneficia por agir agilmente e, assim, evitar a dispersão do problema.

Veja um grande recurso de tecnologia de drone na agricultura. Conheça o Stratus H12!

Conclusão

Ao longo deste artigo, nós falamos sobre a evolução da tecnologia na agricultura. Mostramos que a prática (exercida há milênios pela humanidade) teve um salto impactante de qualidade com os avanços dos séculos 19, 20 e 21.

Hoje, soluções digitais agregam ao setor de múltiplas maneiras, promovendo o aumento da produtividade e da capacidade de prevenção e combate a todo tipo de problema. Isso tudo, de maneira mais e mais personalizada e precisa na fonte de cada situação da lavoura.

Falamos, por fim, de tecnologias na agricultura, atualmente, e destacamos o valor agregado do drone à sua área de cultivo. E você pode saber mais a respeito dando uma olhada em nosso site. Nos vemos lá!

Junte se a nós!

Cadastre-se e fique por dentro de todas as novidades da ARYS.

Veja mais:

taxa variável
Sem categoria

Taxa variável e sua aplicação na agricultura

Aumentar a eficiência e reduzir os desperdícios e prejuízos — essa é a uma das principais ambições de qualquer empreendedor, independentemente do ramo de atuação.

MENU

%d bloggers like this: